Prefeitura de Estreito fecha contrato de empréstimo milionário junto ao Banco do Brasil

Segundo diário oficial da FAMEM, o dinheiro é destinado para aquisição material e outros equipamentos para o município.

0
Agora, um novo contrato de empréstimo milionário surge entre a prefeitura de Estreito e o Banco do Brasil.
A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), divulgou em seu diário oficial o contrato de empréstimo celebrado entre a Prefeitura de Estreito, representada pelo prefeito Cícero Neco, juntamente ao Banco do Brasil. O valor do empréstimo chega a quase quatro milhões e meio de reais.
O documento especifica claramente que o empréstimo se destina a aquisição de máquinas, equipamentos, veículos e softwares, capacitação de servidores e serviços técnicos especializados, conforme o que já deve estar previsto no plano plurianual, na lei orçamentária anual e exercícios subsequentes do município de Estreito.
Porém tendo em vista a situação que o país vem enfrentando, o combate contra a  pandemia do novo Coronavírus, levanta a pergunta se este seria o melhor momento para realizar um empréstimo com um valor tão alto, e mais que isso, um empréstimo no qual não destinará verbas para área da saúde. Em um momento é que todo o país busca medidas para prevenção e combate à doença, é difícil de entender a escolha do prefeito (que representa a prefeitura neste contrato), em retirar um empréstimo para aquisição de máquinas ou qualquer outra coisa que não seja destinada à saúde.
Prefeito Cícero Neco e as suas duas testemunhas do empréstimo, o secretário de saúde Cássio Batista e a vereadora vice-presidente da câmara Sabrina Passos
Curiosamente o documento registra que uma das testemunhas da celebração do contrato, foi o Secretário de Saúde Cássio Antônio Paula Batista. Se o contrato não destina verbas para a área da saúde, há uma razão específica para o mesmo ter sido testemunha? A Vereadora Sabrina Leite Passos foi a segunda testemunha no contrato, o que já levanta um novo questionamento, se esse empréstimo passou por votação na câmara, ou se foi sequer informado à população de Estreito.
No ano passado, a câmara pôs em votação um empréstimo de mais de oito milhões de reais que seriam destinados às obras de pavimentação da cidade. Na época o contrato seria celebrado entre a prefeitura e a Caixa Econômica Federal. Porém, o banco negou o empréstimo. Tempo depois a prefeitura alterou o pagamento dos vencimentos dos servidores públicos que antes eram feitos pela Caixa, e passou a ser feitos pelo Banco do Brasil.
Agora, um novo contrato de empréstimo milionário surge entre a prefeitura de Estreito e o Banco do Brasil, e destinando o valor para aquisição de materiais e outros serviços que haja vista o momento que o país enfrenta, não ajudam em nada, é para se perguntar as escolhas que estão sendo tomadas são as mais coerentes, considerando o estado que a saúde de Estreito se encontra, e o risco que o país enfrenta. Até o momento não há previsão sobre um possível adiamento das eleições que podem ocorrer neste ano, porém vale a população e principalmente o poder público se conscientizar sobre o que é prioridade.

Fonte: Jornal O Portal


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui